Deus, Igreja e Bíblia: perdidos no velho mundo?
23 de março de 2018
“Você assusta os homens!”
5 de abril de 2018

Só quem é seguidor de Jesus sabe da alegria que é poder dizer isso. Imaginem a felicidade de Maria Madalena ao chegar no sepulcro e ver que Ele havia ressuscitado! Ela foi embalsamar o corpo de alguém que amava, mas ao chegar lá viu que Ele estava mais vivo do que nunca! Como você se sentiria se algo semelhante acontecesse com você?  

Neste período de Semana Santa a gente costuma relembrar o sofrimento de Jesus, as injustiças que Ele sofreu e as dores da tortura a que foi submetido. A metáfora do cordeiro é perfeita para ilustrar a via crucis e me dói mais ainda saber que Ele simplesmente aceitou a sua missão, não reagiu, não se defendeu e se deixou ser humilhado por amor. Fico envergonhada quando penso que esse amor foi por mim, alguém tão insignificante, que não vale nada. Foi a minha natureza pecadora e incrédula que O matou, apesar de eu não ter estado lá no dia da crucificação.

Relembrar esse sofrimento de Jesus é importante para reavivar em nossa memória quem somos e quem Ele é. Precisamos de vez em quando fazer esse exercício para não nos deixar levar pela soberba e nos colocarmos de volta no nosso devido lugar de criaturas. Mas tem gente que pára nessa parte da história e só lembra da morte de Jesus. Não, a história não acaba aí: Ele ressuscitou e está vivo entre nós!

O meu redentor vive e isso é maravilhoso! Ele não foi apenas mais um mártir, um simples mortal, alguém que tentou subverter o sistema e foi silenciado por ele. Não, o meu redentor é maior que o sistema e não se deteve num túmulo!

O meu pecado o matou, mas Ele é tão poderoso e misericordioso que a morte não O venceu e Ele voltou para me acompanhar: “Eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mt 28:20). Alguém consegue explicar que amor é esse? Confesso que eu não consigo. Escrevo esse texto entusiasmada, mas sei que não há palavras para traduzir o que é ser alvo desse amor. Nada que eu fale ou escreva vai conseguir demonstrar o que é ser amada por Jesus e tê-Lo ao meu lado no dia-a-dia, vendo-O conduzir a minha vida e cuidar de mim nos mínimos detalhes.

Você também é alvo desse amor. Talvez viva a sua vida ignorando isso, mas Jesus não deixa de te acompanhar porque você O ignora. “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei e farei companhia a ele, e ele a mim” (Ap. 3:20). Você já pensou em abrir a sua porta? Já pensou em deixar esse amor inundar a casa que é a sua vida?

Nesta Páscoa, lembre que quem te ama infinitamente não morreu naquela cruz, não ficou enterrado num túmulo, não foi cremado nem embalsamado. Ele está vivo! E essa é a melhor notícia que podemos ter: um Deus vivo na nossa vida. Deixe Ele entrar e experimente esse amor.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *